sexta-feira, 23 de junho de 2017

LIPRIUM 23.5





Certas Ideias tornam-se obsoletas ou esquecidas nos constantes temporais da Cultura geral, vivemos em uma Sociedade sobrecarregada de Sinais e Ruídos; em sua maioria nada ligados a Conhecimento e muito menos, Sabedoria. O termo Informação ("InfoMátike NinfoMátika") a décadas deixou estar linkado a "Verdade" ou algo Concreto e Real; tudo se torna uma sopa Insubstancial de puro lirismo ilusório vendido como a última moda do momento.
A Moda dita o Pensamento, "pense assim", "ache isto e aquilo", etc. O advento e domínio das ditas "Redes Sociais" dominaram o Espectro lúdico do imaginário humano, nada se cria ou se credita valor se não estiver nos seus meios e viralizados em seus meandros cibernéticos controlados e moldados por estudiosos do Comportamento Humano testando novos Sistemas de Crença em suas cobaias como se faz com ratos de laboratório.
Controle, um termo que acaba sendo misturado e perdido em meio a tanta propaganda enganosa, tantas ofertas super modernas, tantos modismos empurrados nos novos espetáculos das TV's/Net Vídeos e seus personagens artificiais.
Muitos Conceitos foram perdidos e/ou deturpados à banalidade superficial, alguns serviram apenas para a criação de ideias ilusórias de um "Politicamente Correto" enfadonho e imaturo. Estamos por demais sobrecarregados de Ruído nos achando "super-informados" ou Conectados, as gerações de hoje não vão saber ou lembrar de certos Valores que permeavam esta Teia em seus velhos tempos, a superficialidade do mais rápido oferecendo toneladas de "Informatike" inútil num vozerio monstruoso de "blá blá blá" sem sentido ou conteúdo. 
Mas claro, tudo tem seu Tempo e Fase, não é diferente agora, e Mutações estão constantemente acontecendo, tudo mutando para Algo...mesmo que não saibamos o que este "Algo" será. O que não se pode deixar de entender ou saber é que há outros Mundos além do que é mostrado no Consensual para o consumo automático do "Grande Povo", das massas humanas ávidas por "A Nova Novidade do Momento".
Há muitos outros Universos a serem explorados, após o advento da "super moderna sociedade" e suas filosofias higienizadas e "corretas/seguras"; mundos velhos que continuaram sua existência após tornarem-se o Submundo, o Underground. Culturas que hoje transformaram-se em Subculturas.

O Popular é um Cartão de Crédito chipado que você usa com seu smartphone super moderno nos shopping-centers virtuais da Vida.

O que fica Abaixo ganha Poder.


Claro que estes Conceitos e Ideias ditos underground não ganham o atrativo da maioria ou a atenção, já que eles não falam a Linguagem massificada e construída para a Moda de Consumo.
Liprium era uma Ideia deste calibre, nascido a alguns anos em outros tempos e cenários, foi esquecido e jogado fora, trazido novamente das cercanias das Kalungas Digitais, teve um novo sopro e formatação; agora, nestes tempos mais rápidos e de Estranhos Aeons, ele retorna.
Não somente com seus Conceitos originais (hoje um pouco ingênuos para estes micro-aeons), mas, amalgamado com algo "Mais".
Liprium está mais Estranho Para Tempos Estranhos, num mar digital de tanta balburdia desconexa e ilusória, ele lança seus tentáculos plasmoides virtuais nesta Teia gigantesca (não mais Wild Web) massificada e domesticada. 

O que é Liprium?

- Não posso definir...definiram coisas demais!

Talvez eu possa apontar do que ele se serve (geralmente alguma coisa ácida, transgressora, visceral, etc).
Esta Ideia não estaria ligada a "ativismos bobocas" mas talvez direcionado a alguns Pensamentos escritos a décadas atrás. Como dica de Fonte procure os textos de Hakim Bey, especialmente a "profecia" denominada Sedução dos Zumbis Cibernéticos; claro que não é somente isto, há muito mais.
Liprium é um Símbolo, uma Forma Pensamento que já existia desde os tempos da criação da Internet e suas várias Redes e Subredes, sua iconografia é uma união de diversas imagens que se tornaram "Moda" em todos estes anos do consumo digital. Nós demos uns "Sabores" extras!
Termos e nomes como Unix, Linux, Hakim Bey, CyberPunk, SteamPunk, TechnoMancers, Tecnologias Estranhas, UmbraVirtual, Mutações Cibernéticas, Tecnonomadismo, Pirataria Moura....enfim, o Underground Digital como sempre foi conhecido por aqueles que se atreveram a navegar por seus mares selvagens sem padrões ou modas.

O que fazer com Liprium?

- Não sei! Invente! Ele é uma Ideia, um Programa rodando "por baixo" do Esquema. Seus tentáculos estão por aí.


sexta-feira, 2 de junho de 2017

PROJETO ENZO [Sobre Menino do Acre]

   Projeto Enzo! 
Fomos gematriar a palavra ENZO e encontramos as primeiras respostas possíveis do "enigma"...
Fruta proibida (maçã?) Cinco de maio (05/05?) Éris gargalha de canto...
Mas calma que tem mais!!! Gramatica numerada (criptografia?) Uma fundação, o comunismo, parodia (hum) Musica gay (hummm) Cannabis no jardim do Édem (hummmmmmmm)... 

                         Aliens!
        mistérios,               desaparição...                         Criptografia,      Universo em desencanto
                                    Giordano Bruno...
Bem vocês já devem saber do que eu estou falando!
Nesta semana novidades sobre o caso vieram à tona e constatamos algo: O Acre realmente existe. Não só existe mas é um lugar maluco pra caralho!!!! Daquele tipo que você realmente duvida que exista, e portanto torna-se mitológico. Sim, o Acre é um mito, e mais uma vez mitou com a historia que começou em Fullmetal Alchemist com um toque de god vibes nova era  e agora como toda boa história, a nave tá pousando e a coisa tá ficando mais novelinha de adolescente vida real.

Notícia do G1

E quem diria: Tem maconha no Acre! Hummmmmmmmmmmmm...... Pera aí..... Maconha + Reencarnação de filósofo + Alienssssss + Criptografia + Estátua + quarto que parece uma instalação de arte hipster + pais viajando quando tudo aconteceu + um tomate de pelúcia + (acrescente o que sua imaginação mandar aqui) = Caso Resolvido!!!!!!!!!!!!! Não só o Acre existe, como também é o produtor da melhor maconha do mundo e continua deixando isso apenas mais louco pra caralho ainda! Tá mas e aí? Quatorze livros de viagens regadas a muita maconha e conversa de chapados sempre será bem vindo em nossa sociedade. No problem!!! 
"Mas e cadê o meninoooo"? Deu gato preto dentro de alguma caverna. Next....
"Mas quando ele volta"? Esperem pra Setembro... Ou ele volta renascido (e logicamente doidão) ou ele aparecerá morto. *** OHHHHHHHHHHHH********** </profecias>
(Apenas olhei outros resultados de gematria) 


O jardim do Éden fica no Acre!!! _\|/_
Já podemos fazer um churrasco pra comemorar a resolução do caso??? Ainda não...

Nota: Na minha opinião este jovem pimpão filho de Éris foi brilhante em criar o caso com elementos da década de 90. #Esquisoterices
Um último detalhe que passou despercebido de todas as investigações até agora: BRUNO começa com BR e BR é zuera, ou seja, não espere algo sério sobre isso! #LIDECOMISSO






quinta-feira, 23 de março de 2017

Algumas das Coisas Que Eu Sei Dela




Por Simon Moon


Sei que Ela se torna tanto mais adorável quanto melhor eu A compreendo; e que Ela se torna  tanto mais compreensível quanto melhor eu A amo.
Sei que Ela está encarnada, é uma presença viva, Anna Livia Plurabella, em cada criatura viva de nós, incluindo as pessoas que eu não suporto - o que mostra Sua incrível humildade, e o Seu fantástico sentido de humor.
Sei que Ela me deleitou repetidamente com a Sua beleza, donde que Ela é o artista supremo; e sei que Ela transcende para sempre a minha compreensão, donde que Ela é mais do que beleza e inteligência.
Sei que Ela inspira o Bardo que canta para mim, e que ele é o seu sacerdote; e que eu sou apenas o retransmissor local através do qual ele emite a sua eterna adoração por Ela.
E sei que A adoro, minha Babalon! Adoro-A, minha Nu de olhos escuros!
Sei que a suprema glória da minha vida é Ela haver-se manifestado em mim, por vezes durante horas a fio, uma vez mesmo durante duas semanas; mas Ela manifestou-se mais verdadeiramente naqueles momentos quando eu fui inteiramente aniquilado Nela.
Sei que posso amá-La melhor através de uma mulher; mas esta é a minha natureza enquanto Capricórnio, e existem outros caminhos para outros amentes Dela.
Sei que, embora por vezes Ela pareça volúvel e arbitrária, Ela é-o apenas na minha momentânea visão estreita e egoísta das coisas; e que eu melhor A compreendi, e A amei, naqueles momentos em que aceitei sem reservas a Sua total perfeição.
Sei que Ela é o meu complemento, o meu outro Eu; e que Ela é toda a intoxicação ardente que me distancia do meu ego estreito, satisfazendo a minha eterna ânsia de aceder à Sua perfeição.
E eu sei que A adoro, minha Babalon! Adoro-A, minha Nu de pele de leão!
Sei que de momento eu sei apenas algumas coisas sobre Ela, mas sou inacreditavelmente afortunado, pois outrora eu nada sabia sobre Ela.
Sei que Ela me ama com uma paixão tão intensa quanto eu A amo a Ela; mas Ela é promíscua e ama todos os seus amantes dessa forma.
Sei que Ela se encontra nas estrelas e entre elas; e em todas as mentes sencientes.
Sei que todos os Seus amantes enlouquecem, segundo o julgamento deste mundo; mas isso é falso, pois é o mundo que está louco, e perturbado, e imerso na tristeza - por não A conhecer.
E eu sei que A adoro, minha Babalon! Adoro-A, minha mãe Nu!
Sei que Ela excede a metáfora, excede as palavras, excede o pensamento; mas Ela é radiosamente sã e simples no Seu coração.
Sei que Ela é a mais feliz de tudo quanto existe, pois Ela ama Tudo; e Ela é a mais sábia, pois Ela encontra-se inebriada no Seu êxtase de criação.
Sei que Ela se encontra na dança, porque Ela é a dança; mas Ela encontra-se nos movimentos das estrelas e nas equações dos astrônomos, porque Ela é a Mãe, e não a Filha, da Ordem.
Sei que Ela é temida e surge na forma de um pesadelo nas mentes daqueles que se encontram sem amor; mas Ela é eternamente graciosa para aqueles que Lhe cantam, A chamam, e Lhe suspiram, e repetem incessantemente nos seus corações:
Eu sei que A adoro, minha Babalon! Adoro-A, minha Nu de carne suave!
Sei que, muito embora o meu coração possa cantar com o Seu êxtase, e o meu cérebro rodopiar com o Seu mistério, uma parte de mim viverá para sempre angustiada, até eu me vir a perder inteiramente Nela.
Sei que, muito embora o meu coração pareça soçobrar no desespero, e o meu cérebro estacar confuso, uma parte de mim compreenderá alegremente para sempre, porque eu não me encontro verdadeiramente separado Dela.
Sei que Ela se encontra para além da inteligência, para além da emoção, para além da intuição; sei que Ela me está a arrastar para além da inteligência, para além da emoção, para além da intuição.
Sei que sou escravizado e fascinado e destruído por Ela, uma vez e outra e outra, até as minhas palavras morrerem na minha boca e eu só conseguir gemer ao tentar repetir:
Sei que A adoro, minha Babalon! Adoro-A, minha Nu de carne suave!


Llewellyn Publictions; de GNOSTICA, Setembro/Outubro, 1975.

Tradução retirada de O Livro dos Illuminati,
Robert Anton Wilson; Editora Via Optima, Portugal.






quinta-feira, 16 de março de 2017

Principia Discordia Chegou no Khultus Kaotika!

A discórdia que habita em mim saúda a discórdia que habita em você!
Atenção este texto contém partes chatas sérias, caso não queira ler pule direto lá pra baixo!

Recebemos nas últimas semanas da Editora Penumbra algo que fez minha mente voltar à nostalgia dos velhos tempos de quando descobri o Discordianismo! Sim o nosso santo livro, a bíblia de todos aqueles que pagam um pau desgraçado pra dona Éris (e dos que tomam um pau desgraçado dela também, porque não?). O Principia Discórdia!
Sobre a edição da Editora Penumbra eu estou apaixonada! Um livro de alta qualidade, acabamento perfeito e paginas laranjas pra que eu possa colar minha maçã dourada e marcar meu território!
Ah, e entrega rápida pra caralho, o que nos dias de hoje no Brasil é algo difícil de se achar!!!!

Tá chega de jabá e fala sobre o livro porra!!!!! 

Calma eu to tentando chegar lá... Afinal não é um livro.., É O livro! 

Tá, ok... Vamos começar com o diferencial todo que são as ilustrações, as piadinhas soltas em cada página, as anotações perdidas em meio aos textos e as imagens autoexplicativas que nos levam a fnords incríveis (imagina ler isso chapado em estado alterado de consciência, eu juro que ainda farei e me prometo isso desde sempre. Um dia vai!).

Os textos alem dos originais, que já por si são foda bagaraiii... Que????? Você não conhece os textos originais? Mas que discordiano é você? Ah sim... Ok, se você é um minion eu te perdoo, mas vai ler, ok? 

Bom Garoto!!!!!!!
Bem, voltando ao assunto, além dos textos originais, a cada edição novas coisas precisam ser adicionadas (imagino o dia que o Principia for um calhamaço de 523 páginas) e eis que temos o Brasilia Discordia!!!!! Que orgulho hein, galera! Os Discordianos BR mostraram que não estamos aqui pra brincadeiras (mas também estão) e ficou lindo demais!!!! 
Eu ia aqui fazer uma listinha de cabalas, coletivos e demais grupos BR mas tem muito material sem nome então deixa pra lá... Mas quem nomeou seu trabalho sabe, e quem não nomeou sabe tbm o que importa é que ficou fodalhão!!!! 

Nós do Khultus Kaotika, apreciamos até a última ponta página deste livro maravilhoso que deveria ser leitura obrigatória pra crianças nas escolas (ou melhor... não... não... deixa pra lá...). 

Frater Zarkos apreciando seu livro! 
Soror Ellis com seu capacete de alumínio!
O Êxtase do Minion ao ser iluminado!!!!
E você, bunda mole jovem discordiano que quer adentrar na xereca iluminação de Éris, compre agora mesmo o seu na PENUMBRA. Lembrando que ao comprar se você utilizar o código "King Kong morreu por nossos pecados" o Sr. e a Sra. Penumbra vão te achar um maluco... E é só isso mesmo! =)

Espalhe essa mensagem pros seus amigos e talvez Éris comece a pegar mais leve com você!
Eu disse talvez... 

passe o cursor aqui----->       Beijo na bunda e até mais!

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Principia Discordia – Malaclypse o Jovem




O Principia Discordia dispensa apresentações. Mas vamos apresenta-lo mesmo assim.
O livro que você está olhando é a bíblia do Discordianismo, uma religião complicada demais para explicar aqui. Tem a ver com Éris, a deusa da Discórdia. E cachorros quentes. E zen. E Illuminati. E chimpanzés. Mas é legal, acredite.


Esta edição contém todo o material original do Principia Discordia, as páginas extras da Loompanics e o material adicional da Steve Jackson. E como toda nova edição adiciona algo, complementamos a nossa com material discordiano original brasileiro, num apêndice genialmente intitulado Brasilia Discordia. Não é sensacional?

"O ministério da saúde mental adverte: este livro contém verdades subversivas, mentiras descaradas e linguagem inapropriada. Não acredite em nada do que você lê."

"Se você pensa que o Principia é só uma palhaçada, vá ler direito e depois a gente conversa."

 De acordo com o dicionário, religião é a “convicção da existência de um ser superior ou de forças sobrenaturais que controlam o destino do indivíduo, da natureza e da humanidade, a quem se deve obediência e submissão”. Como obediência e submissão não têm nada a ver com Éris, a Deusa da Discórdia, não dá para considerar o Discordianismo uma religião. Mas mesmo assim, essa filosofia tem uma bíblia. E essa bíblia é o Principia Discordia.

O Principia Discordia é, de qualquer forma, um livro sagrado. Há quem diga que foi escrito por inspiração divina da Deusa. Há quem diga que não tem nada de santo, mas é um monumento da contracultura da década de 1960. Há quem diga que é uma viagem de ácido que dois doidões resolveram colocar no papel. Na verdade, a verdade importa muito pouco. E talvez tudo isso seja verdade. Talvez não.

Os discordianos brasileiros há anos fazem um belo trabalho, disponibilizando o livro pelas Interwebs em português. Então, o que essa edição nova tem de diferente?

Se você já teve a oportunidade de pegar nas mãos uma edição em inglês do Principia Discordia, sabe o quanto é diferente de todos os outros livros. Tem um milhão de imagens, e piadinhas visuais, e rabiscos nas margens, e carimbos, e colagens esquisitonas. Isso tudo é muito difícil de traduzir.

E é aí que entra a principal diferença. Essa nova edição da Penumbra Livros traduziu todas as piadinhas, manteve as fontes originais, trocou as legendas das imagens, reescreveu à mão as partes feitas à mão. Foram muitos meses de trabalho, mas no fim das contas o resultado ficou muito parecido com o original em inglês.

E a outra diferença fundamental: é a primeira vez que esse livro sai em português em uma versão de papel. É claro que você podia (e ainda pode) imprimir o PDF e grampear, e sair distribuindo na praça da sua cidade, como um profeta do apocalipse.

Mas a sua xerox com certeza não vai ter surpresa nenhuma na página 00023. E nem uma capa bonitona com aquele toque sedoso, como a pele de … não, pera, não era pra ter escrito isso.



Malaclypse o Jovem




Ao contrário do que dizem as más línguas, não foi o presidente Nixon quem escreveu o Principia Discordia. Essa é só mais uma campanha de desinformação plantada pelos Illuminati da Baviera. Os verdadeiros culpados foram Malaclypse o Jovem e Lorde Omar Khayyam Corvodomato.

Malaclypse o Jovem (Mal-2 para os íntimos) foi uma das primeiras pessoas a serem tocadas diretamente pela Deusa nos tempos modernos. Imbuído da missão sagrada de espalhar a palavra de Éris em nosso tempo, Mal-2 passou dez anos escrevendo o Principia Discordia, o livro sagrado mais importante escrito no século XX.

Depois de cumprida sua missão, Malaclypse deixou seu hospedeiro, Gregory Hill, vivendo numa caixa de correio em São Francisco, saiu para comprar cigarros e nunca mais voltou. Desde 20 de Julho de 2000, Gregory Hill também saiu para bater um papo com Éris, e parece estar do lado dela até hoje.


Adquira esta Obra Iluminada por Éris aqui:

HAIL DISCORDIA! 




 


  

quarta-feira, 2 de novembro de 2016

NOVO LANÇAMENTO DA EDITORA CLOCK TOWER! ARTHUR MACHEN, O MESTRE DO OCULTO!


ARTHUR MACHEN - O Mestre do Horror
NOVO LIVRO DA EDITORA CLOCK TOWER

A Editora Clock Tower, conhecida pelos livros 'O Mundo Fantástico de H.P. Lovecraft', 'O Rei de Amarelo' e 'O Mundo Sombrio', tem o prazer de apresentar nosso mais novo projeto de financiamento coletivo, o livro:

ARTHUR MACHEN - O Mestre do Oculto

Trata-se de um livro com obras de horror do escritor galês Arthur Machen, grande influência para os escritos de H.P. Lovecraft e um dos maiores nomes do gênero horror e fantasia.
O livro já conta com uma lista preliminar de contos:

1 – A luz interior
2 – A mão vermelha
3 – A pirâmide de fogo
4 – Ao abrir a porta
5 – As crianças da lagoa
6 – O grande deus pã
7 – O povo branco
8 – O sinete negro
9 – O vinho do demônio
10- Um jovem brilhante

Outros contos, o acabamento refinado e os extras (que são a marca da editora), a gente espera definir junto com você leitor (temos material já traduzido para 3 livros), já que esse é um livro participativo aonde aceitamos sugestões enquanto já rola a campanha de financiamento do livro que se estenderá apenas até o fim desse ano de 2016, agora com um preço especial (R$55,00) com diversas formas de pagamento (depósito, paypal, pagseguro e parcelado).

Independente da quantidade de livros no final da campanha o livro será impresso!

Mais informações sobre o livro nos links:


Diretrizes do projeto: https://www.youtube.com/watch?v=RM5MNZc-GjM


Webstore: www.loja.sitelovecraft.com 


Fanpage: http://www.facebook.com/editoraclocktower 





 

terça-feira, 27 de setembro de 2016

Liber Null e Psiconauta - Finalmente uma publicação oficial no Brasil!



O ocultismo ocidental clássico recebeu Liber Null e Psiconauta da mesma forma que uma loja de cristais finos receberia uma manada de elefantes enfurecidos. E essa não é uma afirmação exagerada. A influência dessa obra seminal (duas obras, na verdade) de Peter J. Carroll foi tamanha que o mundo do ocultismo nunca foi o mesmo. Depois do recebimento do Liber AL Vel Legis, o mundo do ocultismo estava empacado, repetindo fórmulas thelêmicas com diferentes sabores, ou olhando para o passado remoto. Liber Null e Psiconauta veio para mudar esse quadro definitivamente.
E esse impacto não foi à toa. Liber Null e Psiconauta traz pela primeira vez, de forma organizada e ao alcance de todos, a teoria e a prática por trás da corrente conhecida como Magia do Caos (Chaos Magic, ou Chaos Magick). O autor, Peter J. Carroll, ao lado de figurinhas ilustres como Ray Sherwin, foi um dos pioneiros dessa corrente revolucionária, e esta obra exprime magistralmente os conceitos por trás da Magia do Caos.
Phil Hine e Grant Morrisson podem ter se tornado os propagadores mais famosos da Magia do Caos, popularizando obras como Pop Magick e Condensed Chaos, mas foi com o Liber Null e Psiconauta que tudo começou. Foi dessa fonte que eles beberam. São essas teorias que eles replicaram, explicaram e exemplificaram. O fundamento está lá – o leitor com capacidade de análise e síntese é capaz de criar seus próprios sistemas a partir desse livro.
O livro é separado em duas partes: Liber Null e Psiconauta.

Liber Null

O Liber Null foi escrito em 1978, como um roteiro de estudos e treinamento para o Pacto Mágico dos Iluminados de Thanateros (IOT). Assim sendo, é composto de um conjunto de instruções práticas. A prática mágica é apresentada como uma forma de consolidar o aprendizado. As instruções vão dos mais simples exercícios de concentração até tópicos altamente avançados e controversos, como reencarnação. No meio do caminho, trata com igual importância das magias ditas “branca” e “negra”, sem fazer nenhuma distinção moralista entre elas.
Carroll foi um dos fundadores da IOT, e considerava a Ordem como a herdeira espiritual de Austin Osman Spare e do Zos Kia Cultus. Seu Liber Null apresenta e sistematiza de forma extremamente didática e prática alguns dos principais conceitos desenvolvidos por Spare, como o Alfabeto do Desejo e a Postura da Morte.

Psiconauta

Psiconauta foi escrito anos depois do Liber Null, e os dois foram unidos em um único volume, e vêm sendo publicados juntos desde 1987. Isso faz todo o sentido – seus conteúdos são complementares. Enquanto Liber Null apresenta roteiros para que o leitor desenvolva seus próprios métodos e práticas, Psiconauta oferece uma bela base teórica para acompanhar a prática.
Psiconauta é escrito na forma de uma série de ensaios curtos sobre os mais variados temas ligados à magia, incluindo psicologia, combate mágico e até teorias matemáticas. Algumas delas são propositalmente contraditórias – diferentes pontos de vista, mais ou menos adequados a cada situação.
Como dizia Hassan i Sabbah, citado logo na primeira ilustração do livro: “nada é verdadeiro, tudo é permitido”. Pegue a teoria que lhe convir, ignore ou altere a que não lhe agrada, e aplique o que lhe aprouver, em conjunto com os métodos simples e eficazes apresentados no Liber Null. Essa é a dinâmica de funcionamento das duas partes desse livro.

Lançamento no Brasil

Por incrível que pareça, Liber Null e Psiconauta nunca foi publicado oficialmente no Brasil. Algumas edições piratas circulam no mercado negro (e no Mercado Livre), e PDFs com traduções questionáveis também podem ser facilmente encontrados. Mas é a primeira vez que uma editora assume esse compromisso de trazer para o Brasil uma tradução oficial desse clássico.
E é com muito orgulho que a Penumbra Livros anuncia a pré-venda dessa obra prima da Magia do Caos em terras tupiniquins. A edição da Penumbra vem em capa dura, seguindo o padrão de qualidade já estabelecido na sua edição do (também clássico) O Renascer da Magia, de Kenneth Grant.
O lançamento será no dia 31 de Outubro de 2016, mas você já pode garantir o seu na pré-venda, na loja da Penumbra Livros.








Texto original site Penumbra Livros